AVISO: ESTAMOS ENTREGANDO NORMALMENTE



Vinho Pêra-Manca Tinto Safra 2014

Preço normal R$ 3.690,00

Frete calculado no checkout.

Pêra-Manca é a marca que a Fundação Eugénio de Almeida destina aos seus vinhos de excepção. Os vinhos tintos são produzidos a partir das castas Trincadeira e Aragonez.

São vinhos encorpados, complexos e elegantes, com aroma a passas de frutos e essências das madeiras de estágio. Devido à grande qualidade dos taninos e madeiras utilizadas, são vinhos que apresentam grande longevidade, necessitando de algum tempo para revelar todo o seu potencial.

A História do Pêra Manca

Pêra-Manca é a marca que a Fundação Eugénio de Almeida dedica aos seus vinhos de excepção. A sua qualidade é sobejamente conhecida, sendo um vinho de referência no mercado português e também nos mercados internacionais.

De acordo com a tradição, o nome de Pêra-Manca deriva do toponímico “pedra manca” ou “pedra oscilante” – uma formação granítica de blocos arredondados, em desequilíbrio sobre rocha firme.

Reza a história que a tradição do vinho Pêra-Manca remonta à Idade Média. Reza também a história que por volta de 1365, Nossa Senhora terá aparecido em cima de um espinheiro a um pastor. Alguns anos depois, foi edificado um oratório em sua honra e em 1458, dada a crescente importância do local como ponto de peregrinação, uma igreja. A posterior fundação de um Convento, que viria albergar a Ordem de S. Jerónimo seguiu-se-lhe. E, nos séculos XV e XVI, os vinhedos de Pêra-Manca eram propriedade dos frades do Convento do Espinheiro.

Em 1517, os frades do Convento do Espinheiro foram obrigados a arrendar esses vinhedos – por ser muito dispendioso o seu trato – a Álvaro Azedo, escudeiro do Rei e a sua mulher, Filipa Rodrigues. Deles, fala D. João II, numa carta à Câmara de Évora.

A fama do Pêra-Manca permitiu que acompanhasse muitas naus da Índia no tempo dos Descobrimento. Foi ainda este o vinho que Pedro Álvares Cabral transportou em suas naus quando chegou ao Brasil.

Foi recuperado no século XIX pela próspera Casa Soares, propriedade do Conselheiro José António d'Oliveira Soares, que o transformou num vinho sofisticado. Contudo, na sequência da crise filoxérica, a Casa Soares deixou de produzir o Pêra-Manca. Foi o herdeiro da extinta Casa Soares, José António de Oliveira Soares, quem, no ano de 1987, ofereceu o nome à Fundação Eugénio de Almeida, que passou a utilizar como rótulo a adaptação de um cartaz publicitário desenhado por Roque Gameiro.

Procurando um produto de particular mérito que estivesse à altura da excelência associada à sua denominação, a Fundação produziu o primeiro Pêra-Manca tinto, em 1990. Desde então foram apenas produzidos mais nove, em 1991, 1994, 1995, 1997, 1998, 2001, 2003, 2005 e 2007, este acabado de lançar no mercado. Esta exiguidade é justificada pelo elevado grau de exigência na selecção das colheitas que só poderão ser, naturalmente, de qualidade excepcional.

As uvas, a partir das quais se produz o Pêra-Manca, são provenientes de vinhas com mais de 25 anos, de talhões seleccionados. O tinto é produzido a partir das castas Trincadeira e Aragonez e o branco tem como base as castas Antão Vaz e Arinto.

Com o lançamento da colheita de 2003, a imagem tradicional e colorida do rótulo do Pêra-Manca foi alterada.

Prêmio Excelência

O vinho Pêra-Manca tinto 2010, da Adega Cartuxa, Fundação Eugénio de Almeida, foi distinguido, pela Revista de Vinhos, com o Prémio Excelência, o mais alto galardão atribuído pela publicação especializada.

O evento, já conhecido como os “Óscares do vinho em Portugal”, consagrou os melhores vinhos nas categorias de Prémios de Excelência (vinhos excecionais, os melhores entre os melhores); Melhores de Portugal (selecionados das várias regiões vinícolas do país) e Melhores Compras (vinhos com boa relação qualidade /preço).

O Pêra-Manca tinto 2010 foi um dos apenas 30 vinhos a integrar a lista de elite, num total de mais de 2.000 vinhos avaliados. Os vencedores foram anunciados numa cerimónia que decorreu, em 14 de Fevereiro/2014, no Campo Pequeno, em Lisboa, onde foram ainda distinguidas personalidades e instituições que se diferenciaram em 2013 na área dos vinhos e gastronomia.